10 de jan de 2011

Que calor !!!


São Paulo está um forno !!!

E nossos bichinhos sofrem não é mesmo ?

A Cindy não tem parada ! 
Com esse calorão, tem dias que ela fica na janela, esperando pegar uma brisinha... 
Outros se estica no chão do banheiro, cozinha que é mais fresquinho.


ACHEI ESSA DICA E ESTOU COMPARTILHANDO:

Ah, o verão! Não sei quanto a vocês, mas, para mim, esta é a melhor estação do ano. Embora muita gente reclame, eu adoro um sol escaldante, roupas leves e coloridas, sorvete, praia… 
Mas, se existem seres que sofrem muito quando as temperaturas se elevam, são nossos amigos peludinhos. Imagine como é ficar sob uma camada de pelos, com um calor de rachar. Difícil, né? O bem-estar do animal é uma responsabilidade total do dono. Então, cuide do seu bichinho! Aqui, 8 dicas de cuidados simples, porém essenciais, para a saúde e tranquilidade dos pets no verão:
 
1. Muita água nessa hora

Se o líquido é fundamental para nós, humanos, com os pets não é diferente. Os bichinhos precisam hidratar o corpo. Então, deixe sempre uma vasilha com água fresca à disposição deles. Durante os passeios leve sempre uma garrafinha, para oferecer o líquido ao animal enquanto estiver fora de casa.

2. Horários mais leves

Caminhar, correr e fazer exercícios são atividades importantes para um cão saudável, mas a combinação de muito esforço e temperatura elevada pode não ter um bom resultado. Além de cansar mais ainda, o chão quente pode machucar as patinhas do bicho e os raios solares podem causar queimaduras nas áreas mais sensíveis. Então, melhor fazer isso nos horários em que o sol é mais ameno: no começo da manhã ou no final da tarde.

3. Protetor neles!

Por falar em queimaduras, seu melhor amigo também precisa de protetor solar. Proteja principalmente as áreas sensíveis, como o focinho e as pontas das orelhas. Capriche ainda mais se o animal tiver pelagem curta e/ou de cores claras. O ideal é aplicar produtos desenvolvidos especialmente para animais (eles podem ser encontrados em pet shops). Assim, você evita possíveis reações alérgicas.

4. Descanso fresco

Quando estiver em casa, assegure-se de que o animal tenha um local fresco para descansar. Se o cachorro fica no quintal, providencie um espaço com sombra para que ele possa relaxar ou tirar aquela soneca de uma maneira mais tranquila.

5. Pelos, para que tê-los?

Se a raça permitir, aproveite para tosar o animal nesta estação. Assim ele fica mais fresquinho durante os dias com temperaturas mais elevadas. Além disso, escove-o sempre.


6. Nem por um minuto

Nada de deixar o cachorro sozinho no carro, nem mesmo com o vidro um pouco aberto. A atitude, que não é legal nem em dias frescos, pode ter consequências muito piores no verão. Isso porque a temperatura do veículo sobe rapidamente, fazendo seu amigo de quatro patas praticamente morrer de calor lá dentro.

7. Evite as praias

Cachorro na praia, pode? Muitas pessoas acham inadmissível a convivência com os animais em locais como este e, em muitos municípios brasileiros, isso é até proibido. Isso porque as fezes e a urina do animal podem contaminar a areia, causando doenças para os humanos. Portanto, se assim mesmo você optar por levar o seu, faça apenas passeios curtos e não o deixe fazer as necessidades no local. Se, por acaso, houver um “acidente”, recolha a sujeira imediatamente. Além disso tudo, a ideia pode fazer mal ao próprio animal, já que ele também está sujeito a pegar pulgas, carrapatos e até bicho-de-pé no contato com a areia. A água do mar no pelo também pode causar alergias.

8. Atenção para o perigo

Se o cachorro estiver excessivamente ofegante, com os olhos vidrados, com a tonalidade da língua mais vermelha do que o comum e vomitando, ele pode estar dando sinais de uma exaustão por conta do calor. Leve-o para um local com sombra e dê água gelada ou até cubos de gelo para ele lamber. Compressas com toalhas frias também são boas soluções. Se os sintomas não passarem, procure um veterinário.