1 de mar de 2011

COMIDINHAS

Cindy capotada depois de uma bela refeição !


Não sei se todos os donos e donas de gatinhos passam por isso, mas acertar a alimentação dos nossos bichinhos é complicado... 

A da Cindy foi bem díficil. Não preciso dizer o quanto ela é fresquinha ! (hehehe) Principalmente na hora de comer. 

Eu e mamãe tentamos várias rações Premium, das mais caras possíveis...
Mas a Cindy sempre torcia o nariz, ia lá no potinho, cheirava, disfarçava e saia andando como se não fosse com ela...

Foram dias e semanas de testes, cocôs moles, insistentes miados desesperados de fome, até que finalmente acertamos o gosto dela...

Bom, atualmente a Cindy está comendo a ração Guabi, olha as informações do produto:

"Guabi Natural é um alimento Super Premium de alta qualidade, exportado para vários países, e que traz em sua formulação a mais moderna tecnologia desenvolvida nos últimos anos na área de nutrição animal.

Guabi Natural é conservado naturalmente à base de extratos vegetais. Possui ainda ingredientes diferenciados e inovadores, que combinados de forma balanceada, proporcionam excelente sabor e uma perfeita absorção dos nutrientes pelo organismo do animal, equilibrando suas funções vitais." etc etc etc etc


É legal porque tem na versão light e latinhas também.

A Cindy simplesmente adora...e o veterinário aprovou !

Eu achei uma dica bacana na net e vou postar abaixo !


Alimentação dos gatos:

Os gatos, como os demais felinos, são carnívoros. No ambiente selvagem, devoram a presa inteira, incluindo pele, orgãos internos e ossos e ervas que a presa tenha ingerido. Dessa forma ele obtém o balanceamento nutricional correto.

Alimentação correta dos gatos desde filhote: imprescindível para uma vida saudávell. Qualquer mudança na alimentação, mesmo que seja só de marca de ração, deve ser feita de forma gradativa. Mudanças bruscas de alimentação podem causar diarréia.

Os gatos que tem livre acesso a comida podem comer de 10 a 20 pequenas refeições diariamente. Sua dieta requer um alto nível de gordura e proteína se comparados com os cães, e doses extras dos aminoácidos taurina, arginina, cisteína e metionina.

Gatos não podem comer chocolate, porque contém ácido oxálico que impede a absorção de cálcio. Além disso contém teobromina, um alcalóide tóxico para felinos. Aliás, gatos são muito sensíveis a várias substâncias, então nunca dê nenhum alimento ou medicamento antes de consultar seus veterinário.

Mantenha sempre a higiene dos comedouros e bebedouros. Use os mais pesados para que não virem com facilidade, coloque folhas de jornal por baixo dos pratos, para evitar que deslizem e também facilitar a tarefa de limpeza. Evite o uso de comedouros e bebedouros plásticos.

Os gatos, como as pessoas, possuem gostos diferentes, é comum que alguns não aceitem alimentos que outros gatos adoram. Procure descobrir qual o alimento que seu gato mais aprecia. As preferências alimentares dos gatos irá depender do odor do alimento, textura e saúde do gato. O ambiente também influencia o apetite do gato. Luz, barulho, presença ou ausência de pessoas ou animais, tipo de limpeza do comedouro e bebedouro, são fatores que afetam.

Não alimente seu gato em excesso. Alimentar bem não é alimentar demais. Uma boa alimentação é formada por quantidade suficiente de alimentos, com todos os elementos nutricionais necessários ao bom funcionamento do organismo dos gatos.

Os gatos têm deficiência de algumas enzimas, o que os tornam incapazes de sintetizar determinados nutrientes no organismo. Eles têm que ser fornecidos pré-formados na dieta, como a Vitamina A, o Acido Aracdônico e Taurina.

Os gatos necessitam de boa quantidade de proteínas e gorduras (carnes, peixe, aves, vegetais, soja). Precisam também de hidratos de carbono, sais minerais e vitaminas. Os gatos domésticos precisam de água fresca sempre disponível, principalmente os que se alimentam de ração seca. Já os gatos selvagens bebem pouca água. A carcaça das presas que come possuem 70% de água.

A grama (ou verde), é elemento importante na alimentação dos gatos. No ambiente selvagem, ingerem alimentos verdes junto com a presa. O verde contém vitaminas e ajuda no bom funcionamento do aparelho digestivo. Já a taurina, é um produto final do metabolismo de 2 aminoácidos. Está envolvida na formação e funcionamento da retina e nos gatos também com a formação de sais biliares. Sua deficiência resulta em degeneração da retina e cegueira. Essas alterações demoram longo tempo para ocorrer, cerca de 1 ano com uma dieta insuficiente em Taurina.

Diferente dos outros animais, os gatos não conseguem sintetizar a Taurina. Ela é encontrada em produtos de origem animal. As rações atualmente vêem com um bom suprimento de Taurina.

10 de jan de 2011

Que calor !!!


São Paulo está um forno !!!

E nossos bichinhos sofrem não é mesmo ?

A Cindy não tem parada ! 
Com esse calorão, tem dias que ela fica na janela, esperando pegar uma brisinha... 
Outros se estica no chão do banheiro, cozinha que é mais fresquinho.


ACHEI ESSA DICA E ESTOU COMPARTILHANDO:

Ah, o verão! Não sei quanto a vocês, mas, para mim, esta é a melhor estação do ano. Embora muita gente reclame, eu adoro um sol escaldante, roupas leves e coloridas, sorvete, praia… 
Mas, se existem seres que sofrem muito quando as temperaturas se elevam, são nossos amigos peludinhos. Imagine como é ficar sob uma camada de pelos, com um calor de rachar. Difícil, né? O bem-estar do animal é uma responsabilidade total do dono. Então, cuide do seu bichinho! Aqui, 8 dicas de cuidados simples, porém essenciais, para a saúde e tranquilidade dos pets no verão:
 
1. Muita água nessa hora

Se o líquido é fundamental para nós, humanos, com os pets não é diferente. Os bichinhos precisam hidratar o corpo. Então, deixe sempre uma vasilha com água fresca à disposição deles. Durante os passeios leve sempre uma garrafinha, para oferecer o líquido ao animal enquanto estiver fora de casa.

2. Horários mais leves

Caminhar, correr e fazer exercícios são atividades importantes para um cão saudável, mas a combinação de muito esforço e temperatura elevada pode não ter um bom resultado. Além de cansar mais ainda, o chão quente pode machucar as patinhas do bicho e os raios solares podem causar queimaduras nas áreas mais sensíveis. Então, melhor fazer isso nos horários em que o sol é mais ameno: no começo da manhã ou no final da tarde.

3. Protetor neles!

Por falar em queimaduras, seu melhor amigo também precisa de protetor solar. Proteja principalmente as áreas sensíveis, como o focinho e as pontas das orelhas. Capriche ainda mais se o animal tiver pelagem curta e/ou de cores claras. O ideal é aplicar produtos desenvolvidos especialmente para animais (eles podem ser encontrados em pet shops). Assim, você evita possíveis reações alérgicas.

4. Descanso fresco

Quando estiver em casa, assegure-se de que o animal tenha um local fresco para descansar. Se o cachorro fica no quintal, providencie um espaço com sombra para que ele possa relaxar ou tirar aquela soneca de uma maneira mais tranquila.

5. Pelos, para que tê-los?

Se a raça permitir, aproveite para tosar o animal nesta estação. Assim ele fica mais fresquinho durante os dias com temperaturas mais elevadas. Além disso, escove-o sempre.


6. Nem por um minuto

Nada de deixar o cachorro sozinho no carro, nem mesmo com o vidro um pouco aberto. A atitude, que não é legal nem em dias frescos, pode ter consequências muito piores no verão. Isso porque a temperatura do veículo sobe rapidamente, fazendo seu amigo de quatro patas praticamente morrer de calor lá dentro.

7. Evite as praias

Cachorro na praia, pode? Muitas pessoas acham inadmissível a convivência com os animais em locais como este e, em muitos municípios brasileiros, isso é até proibido. Isso porque as fezes e a urina do animal podem contaminar a areia, causando doenças para os humanos. Portanto, se assim mesmo você optar por levar o seu, faça apenas passeios curtos e não o deixe fazer as necessidades no local. Se, por acaso, houver um “acidente”, recolha a sujeira imediatamente. Além disso tudo, a ideia pode fazer mal ao próprio animal, já que ele também está sujeito a pegar pulgas, carrapatos e até bicho-de-pé no contato com a areia. A água do mar no pelo também pode causar alergias.

8. Atenção para o perigo

Se o cachorro estiver excessivamente ofegante, com os olhos vidrados, com a tonalidade da língua mais vermelha do que o comum e vomitando, ele pode estar dando sinais de uma exaustão por conta do calor. Leve-o para um local com sombra e dê água gelada ou até cubos de gelo para ele lamber. Compressas com toalhas frias também são boas soluções. Se os sintomas não passarem, procure um veterinário.